domingo, 30 de março de 2014

PORTUGAL O PARAISO DAS MAFIAS DOS POLITICOS
ONTEM às 10:22   actualizada às 17:03
Emigrantes enviam 3 mil M€ para Portugal, cinco países na origem

Emigrantes enviam 3 mil M€ para Portugal, cinco países na origem

Os emigrantes lusos enviaram remessas de 3 mil milhões de euros para Portugal em 2013, sendo os radicados em Angola, Alemanha, Espanha, Suíça e Reino Unido responsáveis por 71% do aumento de 585 milhões de euros no valor das remessas entre 2011 e 2013, noticia hoje o Expresso recuperando dados divulgados no início da semana pelo Banco de Portugal.


«Reality show» põe concorrentes em «blind dates» nus

Um «reality show» do canal RTL 5 que coloca os concorrentes a conhecer desconhecidos nus está a fazer furor na Holanda.

Posted: 29 Mar 2014 06:03 PM PDT
.











A que deveria ter sido "apenas" mais um acidente aéreo tornou-se num verdadeiro enigma inimaginável nos dias de hoje. Como é que é possível um avião desaparecer, quando estamos todos vigiados nos nossos mais ínfimos gestos diários?





Os dados:


Um avião comercial que deveria fazer a rota entre Kuala Lumpur e Pequim, após uma hora de voo, desaparece dos ecrãs radares numa zona mista entre dois espaços aéreos.


Nenhum radar civil ou militar, numa zona sensível, o detectam.


Terá alterado a sua rota, mas nenhum radar o detectou.


Inesperadamente, vários países, além dos visados, dos quais os Estados Unidos, a Grã Bretanha e a França, deslocam vários meios aéreos e navais para o local, numa espécie de corrida para encontrar o avião.


Tanto a China como a Malásia atabalhoadamente emitem comunicados de respectivas acusações de erros de pesquisa ou dados erradamente divulgados.




Avistamentos e erros:


Após três semanas de investigação os supostos locais de avistamento dos destroços não são confirmados pelos navios ou meios aéreos nos locais.


Abruptamente, o primeiro ministro da Malásia dá como confirmado, baseado em dados tardios dos ingleses, que o avião voou mais 6 horas e se despenhou a 2000 km de Perth e que não há sobreviventes.


O sistema ACAR inicialmente referiu que o voo se prolongou por mais de seis horas, depois foi desmentido, mas ulteriormente foi graças a ele que o local de despenho foi encontrado.


Nesse local foram encontrados destroços de um suposto avião que supostamente é desse voo, sem qualquer prova.


Passado uma semana esse local deslocou-se 1000 km.


O mau tempo impede que se recolham quais queres destroços.


As caixas negras já só têem mais uma semana de emissão.




Hipóteses:


Nada se sabe, e provavelmente nunca se saberá deste "banal" acidente aéreo.


Tanto mistério apenas nos fazem emitir hipóteses.


Será que um carregamento inusitado (biológico ou químico) disfarçado em voo comercial correu mal?


Será que os passageiros, 20 empregados da empresa Freescale, tinham o destino traçado pelas suas investigações na pesquisa aeroespacial?


Será uma certa forma de "alerta" em relação à China (maior número de passageiros) pela sua tomada de posição em relação à Rússia ao caso da Ucrânia?


Será uma forma de envenenar as relações entre a Malásia (muçulmana) e a região do pacífico?




Todas estas hipóteses estão em aberto, com este estranho caso de um avião que desaparece, em que os pilotos não emitem qualquer sinal de problema, em que nenhum dos passageiros emite qualquer mensagem de telemóvel, em que os radares não localizam a sua trajectória, em que nenhuma reivindicação terrorista é emitida e finalmente em que os satélites locais não detectam nada.






.
Carlos Santos Neves, RTP
A petição nascida do chamado manifesto dos 70 pela reestruturação da dívida pública portuguesa ultrapassou em menos de 24 horas as quatro mil assinaturas necessárias para poder ser debatida em plenário na Assembleia da República. Ao início da manhã deste domingo, eram 5968 os signatários do documento que veio agitar as águas políticas do país. Já depois de o cabeça-de-lista da aliança entre PSD e CDS-PP para as eleições europeias, Paulo Rangel, ter saído a terreiro para estimar que a iniciativa “não teve a repercussão que se esperava”
Tribunal manda repor serviços no hospital
Justiça diz que medidas na unidade de Portimão representam "lesão de saúde pública".
Um burlão chamado Caridade
Celebrou missas, casamentos e batizados. Ganhou a confiança de padres e paroquianos para lhes ficar com dinheiro.
Cavaco pede cortes sobre os mais ricos
HA HA
Presidente diz que não se pode exigir mais sacrifícios a reformados e pensionistas

Processos por saudação nazi
Seis guardas prisionais ouvidos por gestos que os ligam a movimentos de extrema-direita.
346 morrem por ano nas cirurgias
Por ano há 346 mortes associadas à atividade cirúrgica
PJ faz segurança e transporta ouro
Inspetor João Sousa foi apanhado a acompanhar saída para espanha de ouro que não era tributado.
POIS É.............
VAIS VOTAR????????
Ex-autarca sai milionário do poder
Ex-presidente da câmara da capital algarvia pelo PS diz que ficou com crédito de Aprígio Santos por um valor simbólico. Não revela a verba que despendeu e diz que o fez por amizade.

Posted: 29 Mar 2014 11:24 AM PDT
O Imposto que você paga, financia o genocídio comunista na Venezuela!
O senador republicano Marco Rubio, fez contundente pronunciamento no Senado americano sobre o genocídio que vem ocorrendo na Venezuela sob o comando da ditadura comunista de Nicolás Maduro.

Uma curiosidade nem tão curiosa assim. Ao mostrar vários painéis fotográficos da brutal repressão contra o povo venezuela, o senador Marco Rubio, fez questão de destacar que uma das ditas "armas não letais", e o gás lacrimogênio fabricado no Brasil pela empresa Condor, instalada na Baixada Fluminense no Estado de Rio de Janeiro.

A propósito o jornalista Ricardo Setti escreveu um excelente post no seu blog a respeito desse produto brasileiro que é vendido para diversos governos em todo o mundo para reprimir manifestantes, especialmente governos ditariais comunistas e islâmicos.

Este blog tem recebido inumeras denúncias via Twitter de letiores venezuelanos citando o gás lacrimogênio brasileiro pela repressão comunista chavista. Em algumas oportunidades os leitores venezuelanos têm mostrado fracos desse "bomba de gás", cujo prazo de validade estaria vencido e que tal fato tornaria mais tóxico ainda o produto conferindo-lhe grau de letalidade importante. Tal informação não foi confirmada, mas tem sido amplamente divulgada pelas redes sociais.

Seja como for, o fato importante é que esse aguerrido senador republicano de origem cubana, que vem sendo até mesmo cotado como possível candidato à presidência dos Estados Unidos, levou ao conhecimento do Senado americano a tragédia vivida pelos venezuelanos.

Mas apesar de tudo, o governo de Obama, que é de viés comunista, continua fechando os olhos para os mortos, presos e feridos pela ação genocida da tirania chavista com assessoria cubana.
Transcrevo no original em espanhol a matéria da CNN com link ao final para que vocês vejam os vídeos. Leiam


El senador republicano de Florida, Marco Rubio, se refirió ante el Senado de su país este jueves a la situación de Venezuela.

Durante su intervención, Rubio dijo que las manifestaciones en el país sudamericano son consecuencia de la inseguridad, la violencia, la escasez de alimentos y la represión política, mientras el presidente “Nicolás Maduro y todos sus secuaces viven una vida de lujo”.

El senador mostró fotos que, según dijo, documentan la represión de la Guardia Nacional Bolivariana contra los manifestantes. También enseñó un recipiente de gas lacrimógeno hecho en Brasil y añadió que también hay unos que son hechos en Estados Unidos.

Rubio denunció que "el Ministerio del Interior de Venezuela autorizó a francotiradores para que viajaran al estado de Táchira, para que le dispararan a los manifestantes” y mostró como prueba una foto de un francotirador.

El senador nombró varios grupos armados que no llevan uniformes y que operan en Venezuela, según dijo, “bajo los auspicios y por la dirección del gobierno de Nicolás Maduro y la gente que lo rodea”.

El gobierno de Venezuela ha acusado a la oposición de causar la violencia en un intento de derrocarlo, y sostiene que las fuerzas de seguridad en el país se han limitado a mantener el orden en el país.

Las estadísticas proporcionadas por Rubio al Senado de EE.UU. señalan que hay más de 1.800 personas detenidas, más de 400 personas heridas, más de 50 torturados y más de 36 personas muertas desde el inicio de las protestas el pasado 12 de febrero.

Con respecto a María Corina Machado, el senador republicano, resaltó lo que llamó "valentía de la diputada opositora" que regresó a Venezuela el miércoles.

Rubio atacó al presidente de la Asamblea Nacional venezolana, Diosdado Cabello, al que llamó "criminal" por retirar unilateralmente a Machado la condición de diputada luego de que la diputada aceptara el asiento cedido por Panamá para hablar ante el Consejo Permanente de la OEA.

Añadió que la respuesta de la OEA ha sido "vergonzosa" en el manejo de la situación que se vive en el país sudamericano.

"Para qué damos fondos de los contribuyentes estadounidenses a la OEA si no puede lidiar con los abusos de derechos humanos como los que veo en Venezuela", dijo.

El senador de Florida dijo que propondrá “sanciones específicas contra individuos y compañías relacionadas con el gobierno de Maduro, para que sepan que hay consecuencias por lo que está pasando en Venezuela”.

"En las próximas semanas esperamos lograr estas sanciones contra alguno de estos individuos relacionados con el gobierno de Maduro, como el presidente de la Asamblea Diosdado Cabello, como otros individuos, y yo los voy a identificar con nombre que se benefician con la violación sistemática de los derechos humanos en Venezuela, que están robando dinero del pueblo venezolano, que están usando los recursos de esa nación para enriquecerse", concluyó. Del web site CNN
Posted: 29 Mar 2014 10:08 AM PDT
Um escritor no Egito está exigindo que sua nação processe Israel devido as 10 pragas bíblicas.

"Nós queremos uma compensação pelas pragas que foram infligidas sobre [nós] como resultado das maldições que os antepassados dos judeus lançaram sobre os nossos antepassados, que não merecem pagar pelo erro que o governante do Egito na época, o Faraó, cometeu," disse o colunista Ahmad al-Gamal, em uma coluna no jornal egípcio Al-Yawm Al-Sabi.

A coluna foi vista e citada por funcionários com o Instituto de Pesquisa de Mídia do Oriente Médio, que monitora e comenta sobre a mídia no Oriente Médio.
O comentador também defendeu processar a Israel pelos "materiais preciosos" usados pelos israelitas para construir o seu tabernáculo do deserto, a Turquia por danos por invadir o Egito durante o Império Otomano, e a França pela invasão de Napoleão. E ele quer que a Grã-Bretanha pague pelos 72 anos de ocupação.

Após as 10 pragas resultarem em sua libertação da escravidão do Egito, os israelitas logo viram Moisés dividindo as águas do Mar Vermelho. Agora você pode assistir ao aclamado vídeo-documentário "Red Sea crossing", em que câmeras de submarinos robóticos revelam carros egípcios espalhados pelo fundo do mar. Economize R $ 15 - apenas $ 4,95 somente hoje!



"Porque o que está escrito na Torá prova que foi faraó que oprimiu os filhos de Israel, ao invés o povo egípcio. [Mas] eles infligiram sobre nós a praga de gafanhotos que não deixaram nada para trás; a praga que transformou as águas do Nilo em sangue, para que ninguém pudesse bebê-la por um longo tempo; a praga da escuridão, que manteve o dia em noite; a praga das rãs, e a praga da morte dos primogênitos, ou seja, cada primeiro descendente nascido de mulher ou animal, e assim por diante ", escreveu ele.

"Nós queremos uma compensação pelo ouro, prata, cobre, pedras preciosas, tecidos, couros e madeira, e para [todas] carnes de animais, cabelos, peles e lã, e por outros materiais que eu vou mencionar [abaixo], de acordo com a Torá. Todos estes são os materiais que os judeus usavam em seus rituais. Estes são recursos que não podem ser encontrados entre os andarilhos do deserto, porque eles os tomaram em sua partida", continuou ele.

A reportagem da MEMRI reporta que al-Gamal apela para usar "todas as medidas da lei" para coletar as compensações."

Ele cita a descrição bíblica do Êxodo.
"As histórias das Sagradas Escrituras afirmam que os israelitas partiram do vale do Nilo à noite e que foram para a Península do Sinai. Este é conhecido por ser um deserto, onde não há uso de grandes quantidades de ouro, prata, pedras preciosas, carnes, óleos, tecidos e outros. Por isso, é claro que os israelitas tomaram todas estas coisas do Egito antes de partirem.
O capítulo 25 do Êxodo, no momento da saída [israelitas] [do Egito], declara:

"Então falou o SENHOR a Moisés, dizendo:
Fala aos filhos de Israel, que me tragam uma oferta alçada; de todo o homem cujo coração se mover voluntariamente, dele tomareis a minha oferta alçada.
E esta é a oferta alçada que recebereis deles: ouro, e prata, e cobre,
E azul, e púrpura, e carmesim, e linho fino, e pêlos de cabras,
E peles de carneiros tintas de vermelho, e peles de texugos, e madeira de acácia,
Azeite para a luz, especiarias para o óleo da unção, e especiarias para o incenso,
Pedras de ônix, e pedras de engaste para o éfode e para o peitoral.
E me farão um santuário, e habitarei no meio deles."
Êxodo 25:1-8

Ele também observa a construção do tabernáculo portátil montado pelos israelitas usando madeira de acácia e de ouro, bem como linhos.

Ele até mesmo cita as "feridas mentais", de longa história no Egito.

"Queremos a compensação dos turcos por danificarem a psique egípcia através de seu racismo e arrogância, seu desprezo para com o Egito e os egípcios, e seu tratamento vergonhoso ao camponês como alguém que [meramente] ara, semeia e colhe - apesar de a colheita do suor do seu rosto encher os estômagos dos otomanos indolentes ", disse ele.

As pragas incluíram transformar a água do Nilo em sangue, rãs, piolhos, moscas, animais doentes, furúnculos, trovões e granizo, gafanhotos, trevas, e as mortes dos primogênitos.

Fonte: http://www.wnd.com/
Posted: 29 Mar 2014 09:19 AM PDT
Rússia mobiliza 100 mil soldados na fronteira com a Ucrânia 

Tropas não estão só na Crimeia, diz Conselho de Segurança ucraniano.

'A cada dia esperamos um grande ataque contra o território ucraniano'.

A Rússia mobilizou quase 100.000 soldados ao longo de sua fronteira com a Ucrânia, afirmou nesta quinta-feira (27) o presidente do Conselho de Segurança Nacional ucraniano. O número é superior ao estimado na quarta-feira (26) pelos Estados Unidos. "Cerca de 100.000 soldados estão estacionados na fronteira ucraniana. Eles estão prontos para atacar há várias semanas", declarou Andriy Parubiy. "As tropas russas não estão presentes apenas na Crimeia, elas estão ao longo de toda a fronteira", insistiu Parubiy. "A cada dia esperamos um grande ataque contra o território da Ucrânia e estamos nos preparando", disse.



Pentágono acompanha > De acordo com o Pentágono, mais de 20 mil soldados russos, equipados com o necessário para uma operação militar, estão posicionados ao longo da fronteira russo-ucraniana. A Rússia negou no domingo tal informação. No entanto, o secretário de Defesa americano, Chuck Hagel, declarou na quarta-feira que Moscou continua concentrando tropas na fronteira ucraniana. "A realidade é que eles continuam a reforçar suas tropas", afirmou Hagel, a quem seu colega russo Sergue Choigu garantiu que as tropas russas não ultrapassarão a fronteira. Segundo a autoridade ucraniana, a operação russa tem por objetivo assumir o controle da província ucraniana da Crimeia. No início do mês, a Rússia anexou a península ucraniana da Crimeia, após a população demonstrar em um referendo que apoiava o desmembramento da Ucrânia. Estados Unidos e Europa impuseram uma série de sanções contra o governo russo e as autoridades ucranianas que apoiaram a anexação.

Conselho de Segurança > A Ucrânia pediu a Assembleia Geral das Nações Unidas que vote uma resolução que defenda a integridade territorial e denuncie a anexação russa da Crimeia, com o objetivo de dissuadir a Rússia de continuar 'com sua agressão'. A Ucrânia recorreu à Assembleia Geral, órgão em que podem votar os 193 países membros da ONU, depois do veto de Moscou nesta questão no Conselho de Segurança em 15 de março passado, um dia antes do referendo em que a Crimeia decidiu aderir à Federação Russa. Ucrânia e as potências ocidentais declararam ilegal o referendo. Ao contrário do Conselho de Segurança, as resoluções da Assembleia Geral não são vinculantes, por isso a votação é mais simbólica.

Via: http://jsomokovitz.blogspot.com.br/